CCBB exibe clássicos do cineasta francês Jean Cocteau

Entre os dias 1º e 23 de março, o CCBB exibe filmes dedicados a um dos cineastas mais importantes da história da sétima arte: Jean Cocteau.

A programação conta com 23 títulos, sendo seis do cineasta e dois em que participou como roteirista para outros diretores e ainda três filmes baseados diretamente na obra de Cocteau para outras mídias (como teatro e poesia). Além de, dez longas metragens que são influencias de Cocteau.

A influência do diretor emplaca sua influência e vários movimentos e até mesmo a Disney se rendeu a sua obra apresentando notáveis semelhanças entre a animação “A Bela e a Fera” com a versão de 1946.

A mostra “Jean Cocteau: O Testamento de Um Poeta”  tem ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

 

 

Dica para ouvir + Entrevista: Banda Descaso

Com originalidade e critica social em suas letras, a Banda Descaso se destaca no cenário alternativo com bom é velho Rock n’Roll. Desde 2012, os caras estão na ativa conciliando música e biologia. Biologia porque seus integrantes são biólogos formados pela Universidade Estadual Paulista – (UNESP – São Vicente). Algo que era apenas um passa tempo, acabou se tornando coisa séria e a Descaso vai conquistando ainda mais público.

Em sua trajetória, a banda já ganhou uma gravação da música “Onde os Sujos se Dão Bem”, pela participação do festival Light House. Além disso, a Descaso criou um festival de bandas independentes chamado Movimento Rock n Roll Estudantil na Baixada Santista. Na metade de 2013, lançaram seu primeiro álbum demo denominado “Filosofia de Boteco”, com seis músicas próprias da banda.

Já dividiram palco com várias bandas nacionais de peso, como Terra Celta e CPM 22. No mês que vem, dia 18 de março, a Descaso se apresentará no show da banda Hateen no Feeling Music Bar. Evento

Sua formação vem com os integrantes que tem apelidos peculiares, como Seu Bosta (Ivan Laurino) no Vocal, Buzina (Andrey Bragagnolo) na Guitarra, Tadinho (André Pardal) na Guitarra, Nhonho (Marcos Sisdeli) no Baixo e Bodeia (Gabriel Izar) na Bateria.

O Dicas da Paty bateu um papo com o vocalista Ivan Laurino que fala sobre a produção do novo CD, as dificuldades de conciliar estudo e música, e muito mais!!!!

– Vocês se conheceram na Universidade? Como foi esse encontro e a ideia de criar a banda?

Sim, nos conhecemos na Universidade (Unesp – Campus São Vicente), e na época nem passava pela nossa cabeça que teríamos uma banda juntos. Eu e o Tadinho (André Pardal) entramos na faculdade em 2008, na sétima turma do curso de Ciências Biológicas. O Bodeia (Gabriel Izar) e o Nhonho (Marcos Sisdeli) tinham entrado em 2007, foram nossos veteranos. Durante os primeiros anos, fazíamos alguns sons juntos, com violão, nos bares e festas da faculdade, mas nada sério. Em 2012, o Buzina (Andrey Bragagnolo) entrou no curso e a partir desse ano começamos a tocar pra valer. Montamos a Descaso e passamos a fazer apresentações nos bares da Baixada Santista, Capital e interior de São Paulo. Em 2013 já lançamos nosso primeiro álbum demo com seis músicas autorais.

– Como foi relacionar os estudos ao mesmo tempo com a música?

Relacionar os estudos com a música nunca foi fácil, mas, ao mesmo tempo, tornou nosso período universitário muito mais divertido e insano. É claro, que muitas vezes, tivemos que desmarcar shows e ensaios de última hora por causa de compromissos acadêmicos, só que isso nunca impediu a gente de remarcar e continuar com o Rock n Roll. Na verdade, essa dificuldade é uma realidade de praticamente todas as bandas independentes no país. Infelizmente, na atualidade o rock autoral é muito pouco valorizado, em termos financeiros, o que faz com que os músicos estejam sempre em uma vida dupla, entre a arte e o trabalho, entre a arte e o estudo, tentando crescer pra algum lado.

– Pra quem não conhece vocês, como vocês descreveriam a banda?

A Descaso é uma banda que segue as raízes do Rock n Roll e do Blues, trazendo em suas letras toda a energia da noite boêmia, na qual universitários e trabalhadores se identificam. Falar de álcool e noites de bêbado é apenas um retrato do que é hoje em dia um dos poucos momentos de alívio para as pessoas em nossa sociedade, considerando o peso que é viver, estudar e trabalhar nesse mundo insano e corrido. Também, é claro, não faltam nas letras da Descaso uma boa pitada irônica ou direta de crítica social, atacando todas as formas de conservadorismo que circundam as vidas de todos nós.

– Quais são as maiores dificuldades de ter uma banda e como vocês lidam com elas?

A maior dificuldade de ter uma banda é ter tempo pra se dedicar à banda. A única forma de lidar com essa dificuldade é separar determinadas noites da semana exclusivamente para a banda. Sabemos que não tem como a Descaso sobreviver se não colocarmos a banda como prioridade em certos momentos. Não podemos deixar que o trabalho ou os estudos façam com que a gente abandone aquilo que nos faz bem, então seguimos firmes por hora, mesmo que isso signifique deixar o trabalho e o estudo em segundo plano por alguns momentos. A segunda dificuldade é conseguir tocar nos bares sem ter que pagar. Sim, é verdade. A maioria dos bares só deixam as bandas independentes tocarem se elas venderem uma quantidade x de ingressos. Se vender x – 1 não toca. Ou toca, e tira do próprio bolso o dinheiro que falta. Isso é realmente uma dificuldade peculiar. Tocar ganhando dinheiro então é praticamente um sonho.

– Vocês estão pra lançar um CD, como foi essa produção e o que o público pode esperar?

O CD novo da Descaso é sem dúvida nossa grande obra prima até então. As músicas do CD demo já foram de grande agrado do público, mas podemos garantir que as novas, além de estarem muito melhor produzidas, possuem muito mais conteúdo e técnica musical. É nítida a evolução que tivemos e o público pode esperar nada menos do que um puta álbum de Rock n Roll brasileiro.

 

Acompanhe as redes sociais da Banda:

Site

Facebook

Festival Brasil Prog acontece no Centro Cultural de São Paulo

Entre os dias 17, 18 e 19 de fevereiro (sexta e sábado, às 19h; e domingo, às 18h), acontece um festival que reúne quatro bandas de diferentes gerações. Este Festival é voltado ao rock progressivo, estilo que é constituído de músicas longas ou curtas demais.

Programação:

Dia 17/2 – Sérgio Hinds & César de Mercês Tocam O Terço Lado B

Dia 18/2 – Bombay Groovy e Monstro Amigo (Encontro de duas das melhores bandas na nova geração do Progressivo brasileiro).

Dia 19/2 – Violeta de Outono – lançamento do novo CD

 

O Festival acontece na Sala Adoniran Barbosa e os ingressos é R$20,00 – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30).

Dica para ouvir + Entrevista ConFéXS

A banda Conféxs está na ativa desde 2007, nesse meio tempo, ocorreram várias mudanças que focaram na identidade da banda. Sua formação vem com Leandro (Vocal), Higor (Guitarra), Robson (Baixo) e Raphael (Bateria).

A banda tem em base o rock com influência do Rap. De inicio, a banda foi destaque do programa Garagem do Faustão no ano de 2011 e o clipe da música DNA esteve na programação da Play TV em 2014; além da banda, ter ganhado o Festival Barulho, promovido pela Fabrica de Cultura do Jardim São Luís, na zona sul de São Paulo.

O Dicas da Paty bateu papo com essa galera que fala sobre planos futuros, a participação do Festival Barulho e a produção do clipe DNA:

Como aconteceu a formação da banda?

Entre 2006 e 2007, o Moises e o Leandro montaram uma banda para um trabalho de escola e no fim essa banda surgiu: o Conféxs.

– Como surgiu a ideia para o nome da banda?

A banda pensou em alguns nomes e todos já existiam. e inconformado, o Moises abriu um caderno, pegou uma caneta e começou a misturar letras tentando inventar um nome e nisso surgiu Confex. Ele achou meio cru o X no fim e acrescentou o S, ficando assim CONFÉXS! Um nome inventado para não ter outro igual.

– Vocês sempre tiveram vontade de seguir com a área musical ou tinham outros planos?

Todos os membros que já passaram pela banda sempre tiveram interesse em viver de música, mas fora da música, todos têm outros projetos e outros empregos.

– Para quem não conhece vocês, como vocês descreveriam a banda?

O Conféxs é uma banda de Rock com alguns elementos de Rap.

– Quais são as influências musicais de cada um?

No geral, a banda tem como influências o CPM 22, Charlie Brown Jr, P.O.D, Link in Park, Racionais Mc’s e Limp Bizkit.

– Vocês ganharam o concurso do Barulho Festival, Como foi essa participação?

Entramos no festival com a intenção de participa e mostrar nosso som; passamos por uma etapa, depois duas, três, todas; Quando vimos já estávamos na final e acabamos ganhando!

Nesse link tem um vídeo de uma das etapas do festival:

– Como surgiu a ideia do clipe DNA?

Nós queríamos gravar o clipe dentro de uma casa que estivesse em construção para fugir do clichê de algumas bandas que gravam clipes em casas legais e top; nada contra quem faz isso rsrsrs, só que queríamos quebrar essa linha. Arrumamos a casa, no dia da gravação o dono deu pra trás e no fim fizemos na laje da casa do Moises que estava em construção também e em segundo plano para a gravação.

– E os planos para 2017?

A gravação de um EP com músicas novas e a primeira letra de trabalho que vai ser lançada, se chama Sou Guerreiro; além de vídeos que já estamos produzindo, shows e a comemoração dos10 anos de Conféxs!

 

Acompanhe as Redes Sociais da Banda:

Youtube

Instagram

Festival Lab Com Vida acontece nesse fim de semana

Neste Fim de semana, acontece o Festival Lab Com Vida no CCSP, que reunirá artistas e parceiros que fazem parte da história da produtora com oito anos de estrada. O valor do ingresso é R$25,00 (a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento) e tem opção de meia entrada. A duração será 90 minutos na Sala Adoniran Barbosa (622 lugares). Sexta e sábado, 19h; e domingo, às 18h,

Programação

Dia 10/2 – Kamau e banda (DJ Erick Jay, Jeffe, Jhow Produz) – convidada: Rashid e Parteum

Dias 11 e 12/2 – Emicida e DJ Nyack – convidados: Fióti, Drik Barbosa e Coruja BC1

Gravação do DVD AO VIVO da Banda Strike

Com 13 anos de estrada, a Banda Strike grava seu primeiro DVD Ao Vivo, no Hangar 110.  O show será para relembrar os maiores sucessos da banda com as novas músicas de trabalho.

O show vai acontecer nesse sábado, dia 11, a partir das 19h. O Ingresso para gravação do DVD é 60,00 reais. O Hangar 110 fica na Rua Rodolfo Miranda,110.

Já para quem quer curtir ainda mais essa comemoração, os fãs podem adquirir um pacote after party dvd strike, o valor do ingresso é 190,00 reais que inclui: ingresso para o show de gravação no Hangar110, camiseta STRIKE e a entrada para a festa fechada exclusiva após o show de gravação (AFTER PARTY). Essa festa não será aberta ao público, portanto só terá acesso os que tiverem a pulseira de identificação que será entregue na entrada para o show de gravação. A After Party será no JAI Club – Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana.

#ficaadica

Show gratuito em tributo à Legião Urbana na Avenida Paulista

Neste domingo, dia 29 de janeiro, o palco Fiesp/Sesi receberá a banda Legião Urbana Tributo que cantará os clássicos que marcaram toda uma geração.

Criada há cinco anos na cidade de Marília, a banda promete apresentar ao público canções como “Será“, “Tempo Perdido“, “Eduardo e Mônica“, “Índios“, “Quase sem Querer” entre outros hits, que revolucionou o rock nacional.

O show começa a partir das 14h. Uma ótima oportunidade para cantar, dançar e celebrar uma das mais importantes bandas do cenário musical brasileiro.

Dica de lugares: Laje 795

img_0006

Já pensou em ir num bar dentro de um hostel? Pois, isso já existe!

O Laje 795 é um bar no terceiro andar do The Hostel Paulista que abre espaço para os frequentadores do próprio hostel e gente de fora.

Um lugar confortável e ótimo para reunir os amigos para um Happy Hour e tem vista para os prédios da Avenida Paulista, a avenida mais querida de São Paulo.

O som fica pela música ambiente que possui um Playlist bastante alternativo. O local também aceita reservas e customiza a sua festa ou evento conforme combinado.

Seu cardápio varia entre Drinks, cervejas, porções, hambúrgueres e lanches. Além, de não cobrar a entrada, os preços não são caros pela localização da região.

Se você é uma pessoa que curte conhecer lugares que oferecem uma alternativa cultural, o Dicas da Paty super indica para vocês conhecem o Laje 795 que está localizado ao lado da Avenida Paulista e da estação de metrô Trianon-Masp (linha verde).

O Endereço do Laje é na Rua Pamplona 795 – São Paulo. E funciona de Terça-Feira á Sábado a partir das 18h até as 23h. Exceto eventos fechados são de acordo com o combinado.

Dica de livro: SÓ POR HOJE E PARA SEMPRE – RENATO RUSSO

SAIUUUU

vídeo novo!!!
A Dica de livro hoje é SÓ POR HOJE E PARA SEMPRE – RENATO RUSSO.

O livro é um material inédito que vem à tona depois de mais de vinte anos. São as memórias do líder da Legião Urbana com passagens de autoanálise e um olhar esperançoso para o futuro, este relato oferece a seus fãs, além de valioso documento histórico, um contato íntimo com o artista e um exemplo decisivo de superação.

O Dicas da PaTy é um site com artigos, notícias e reportagens. Além, de sugestões para você acompanhar vídeos, lugares, música, séries e livros.

ACOMPANHE o Dicas da PaTy:

Site: http://dicasdapaty.com
TWITTER: @Dicaspatyfelix https://twitter.com/Dicaspatyfelix
Facebook: https://www.facebook.com/dicasdapatyy
Snapchat: dicasdapaty
Instagram: https://www.instagram.com/dicasdapatyfelix

Dica para ouvir + Entrevista: Canal XIII

banda-canal-xiii

A Banda Canal XIII é uma banda de Rock Alternativo, formada desde 2013 e vem com Thiago Gomes (vocal), João Felipe (Guitarra), Yann Monteiro (Guitarra), Pedro Chiba (Baixista) e Ralf Zeq (Bateria). Suas letras falam sobre questões do cotidiano e sentimentos que convivem com o ser-humano, como as suas dores, objetivos, decepções e felicidades.

Este ano, lançaram o primeiro EP intitulado Navegantes de uma Imensidão Qualquer. As melodias são bem calmas e misturam-se com os riffs e acordes fortes. Destaco duas letras: Longo Inverno e Flores de Columbine; a primeira canção aborda sobre a violência contra a mulher, onde muitas são vítimas em seus próprios lares e não denunciam o crime. Já “Flores de Columbine” é uma canção com participação de Lucas Tavares baseada no Massacre que ocorreu em abril de 1999 no Colorado, Estados Unidos, no Instituto Columbine. Os estudantes Eric Harris, de 18 anos e Dylan Klebold, de 17 anos assassinaram vários colegas e professores e em seguida cometeram suicídio.

Recentemente, os caras lançaram o clipe da música “Nunca Mais“, faixa deste EP.

A Banda já participou por diversos festivais da cena underground da região. O Dicas da Paty bateu um papo com essa galera que conta sobre o processo criativo e a produção do EP. Fica a Dica:

– Como aconteceu a formação da banda?

A formação da banda aconteceu em meados de outubro de 2013, na cidade de Cruzeiro, então eu (Yann Monteiro) e o Thiago Gomes fomos apresentados por amigos em comum e daí começou o projeto Canal XIII. No inicio começamos a compor algumas canções e convidamos o Ralf Zeq, o João Felipe e o Pedro Darlan, para se unir a banda e gravarmos nosso primeiro EP independente, intitulado Navegantes de uma imensidão qualquer!

– Como surgiu a ideia para o nome da banda?

O nome Canal surgiu com um pouco de influência do avô do nosso vocalista Thiago Gomes, pois nosso lugar de ensaio é num porão cheio de TVs antigas que seu avô as concertava. E o XIII, é um número bem místico, veio pra acrescentar e tem o significado para cada região e cultura que representam algo diferente ex: sorte, azar, prosperidade, Transformação, Renascimento e liberdade.

– Para quem não conhece vocês, como vocês descreveriam a banda?

Nossa temática de letras consiste em falar sobre o cotidiano do ser humano e como ele interage com o mundo ao seu redor com suas dores, objetivos, decepções e felicidades. Tudo isso com uma pitada de poesia. A essência da nossa proposta é fazer algo diferente, criar uma identidade sólida que toque as pessoas. Não se prender a só um estilo, misturar várias vertentes do rock e levar uma mensagem boa, sempre!

Com melodias calmas, que mesclam com riffs e acordes fortes, dando esse contraste como se tudo em sua vida estivesse bem e de uma hora pra outra tudo desabasse. Passando por diversos festivais da cena underground da região, procuramos aos poucos nosso lugar ao sol!

– Quais são as influências musicais de cada um?

Yann Monteiro> Emery, Enter Shikari e Aiden;

Thiago Gomes> Breaking Benjamin, Slaves e Emarosa;

Ralf Zeq> A Day To Remenber, Red Hot Chilli Peppers e arctic monkeys;

Joao Felipe> Fresno, Esteban, visconde;

Pedro Chiba> Royal blood, death from above 1979* e twenty one pistol.

– Sobre o processo criativo, um fica responsável pela letra e outro melodia ou é um processo colaborativo?

Geralmente, quem fica responsável pela parte de composição é mais eu (Yann Monteiro) e o Thiago Gomes. Chegamos com a letra e a melodia já prontas e mostramos para o resto da banda que acabam colaborando mais na pré-produção das canções com arranjos e ideias.

– Como foi a produção do EP Navegantes de uma Imensidão Qualquer?

O processo de gravação foi um tanto quanto longo pra um EP. Foram sete meses de produção intensa. Chegaram a ter alguns dias que o Yann e eu (Ralf) ficamos aproximadamente 12 horas gravando e regravando os detalhes, mas no final foi muito satisfatório ver o resultado. É um esforço que com certeza valeu a pena e faríamos de novo sem dúvidas.

– E os planos para o final do ano?

7- Nossos planos pro final do ano são gravar nosso primeiro álbum, fazer um clipe e quem sabe fazer um turnê pelo nosso país.