Dica para ouvir + Entrevista: Banda Cafeína

14424070_10206035651604361_1657367442_omm

A Banda Cafeína é uma Banda de rock alternativo que mescla um som pesado junto com um som mais melódico. Da região de Castanhal, no estado do Pará, sua formação é composta pelos integrantes: André Costa (Vocal/Baixo), Clailson Sena (Bateria), Moletom Saldanha (Guitarra) e Renan Miranda (Guitarra). Está formação atual é desde 2012, mas o inicio de sua trajetória e desde 2005.

A banda já participou de vários eventos e festivais, apresentando suas músicas tem como abordagem questões amorosas, sociais e situações do cotidiano de cada um.

Em maio de 2016, a banda lançou seu primeiro trabalho intitulado “Ascensão”, um EP com seis faixas. O EP foi produzido por Janilson Barbosa e tem sua distribuição online para todos conferirem.

O Dicas da Paty bateu um Papo com a galera, confere aí:

– Como aconteceu a formação da banda? 

A Banda Cafeína nasceu em 2005, dos irmãos Alan Costa e Adriano Costa, no sentido de tocar como banda de garagem, só para os amigos mais próximos e conhecidos, na cidade de Castanhal, região metropolitana no estado do Pará. Adriano tocava baixo, e Alan, guitarra. Certo dia, os dois estavam conversando com mais três amigos, e eles tiveram a ideia de chamá-los para formar o Cafeína; esses três amigos eram: Madson Careca na guitarra, Tiago Purosso na bateria, e Gaby Barros, estando no vocal. Desde então a banda fora mudando os integrantes, até estar na formação atual que está hoje.

 

 – Como surgiu a ideia para o nome da banda?

Simples: Alan (guitarra), Adriano (ex-baixo) e André (atual-baixo), são irmãos. Eles eram (e ainda são) apaixonados por café. A subjeção do nome veio depois de tanto que os três tomaram café juntos na época dos primórdios da banda; a ideia veio à cabeça, e o nome pegou. Desde então a banda usa este nome para se apresentar.

 

– Para quem não conhece vocês, como vocês descreveriam a banda?

Fazemos um som alternativo, intercalando entre um som mais pesado, e um som mais melódico, nada muito diferente; riffs de guitarra simples, com letras que falam de amor, quanto ao desgosto de como está a nossa sociedade no geral, sobre a desigualdade social, e sobre nós mesmos, algo que seja direto que deixe uma marca pra quem ouvir as músicas.

 

 – Quais são as influências musicais de cada um?

Bom, é uma mistura bem grande e louca: Eu (Renan Miranda) curto bastante Rock Alternativo/Jazz Fusion/Shoegaze, e bandas como Red Hot Chili Peppers, CHON e Title Fight não podem sair da minha playlist. Já o Clailson e o Alan têm os gostos idênticos, ambos curtem bastante New Metal, e sempre estão ouvindo Slipknot, Korn, Linkin Park e Evanescence, por conta dos vocais agressivos e das melodias pesadas. E o André é fã de carteirinha de reggae. Chimarruts, S.O.J.A e Mato Seco sempre lhes dão inspiração. A banda como um todo curte Hardcore melódico, e ela sempre fala bastante nos projetos das bandas Dead Fish, Bullet Bane, Plastic Fire e Zander, que são influências universais para nós quatro.

 

 – Como foi a produção do EP “Ascensão”?

Durou aproximadamente um ano, tivemos um trabalho árduo para montar essas seis músicas. Corríamos para o estúdio de um amigo nosso (Janilson Barbosa) da nossa cidade, gravávamos cada instrumento, e esperávamos o trabalho ser mixado e masterizado. O nosso tempo foi muito corrido nessa época e sempre tínhamos que nos policiar e fazer as agendas das sessões; e o Janilson foi uma ótima pessoa em deixar o trabalho com um ‘ar’ de cara nova para as seis músicas que estão no EP. Tudo feito com muito amor e carinho para quem ouvir o EP, e para nós mesmos, que trabalhamos bastante no mesmo.

 

 – E os planos para o segundo semestre de 2016?

Pra agora, estamos correndo atrás de eventos para tocar em nossa cidade. A banda está trabalhando em novas composições, mas sem deixar de lado o nosso novo EP. Os eventos regionais sempre acontecem, e sempre estaremos lutando para tocar neles, e estamos preparando uma agenda ainda este ano. Já ano que vem, em janeiro, começaremos com gás em eventos confirmados aqui na cidade, e em outras cidades do estado, se possível, fechar com algum selo independente, e poder realizar um tour regional, ou nacional. Estamos muito esperançosos por isso.

14199555_1034158440035258_6874389928711653205_nm

Dicas de séries: Felicity


SAIUUUU VÍDEO NOVO!!!!
Você já assistiu Felicity? Nãooooo, então confere um pouco sobre essa série que marcou a geração dos anos 90.
Caso você conheça a série, diga o que mais sente saudades da série.
#VemComAGenteNoDicasDaPaty

 

ACOMPANHE o Dicas da PaTy:
TWITTER: @Dicaspatyfelix https://twitter.com/Dicaspatyfelix
Facebook: https://www.facebook.com/dicasdapatyy
Snapchat: dicasdapaty
Instagram: https://www.instagram.com/dicasdapatyfelix
Canal no Youtube: https://www.youtube.com/user/ThePatriciadantas

Show de PrimeraMente e convidados

14232638_679904505501069_4334352632509697613_n-1

Sábado, 17 de setembro, o grupo paulista de RAP PrimeraMente fará show junto com Convidados, no Hole Club. O inicio da festa tem abertura de Yannick e a participação do DJ Lucas Dos Santos, tocando o melhor no Hip Hop Nacional e Internacional.

O Hole Club é um espaço underground que fica na Rua Augusta. O evento começa a partir das 23h30 e o valor de entrada é $20 REAIS, tanto mulheres como homens.

Se liga no Endereço: Rua Augusta, 2203 – Jardins, São Paulo.

Dica de livro: O Último Adeus

o-ultimo-adeus-cynthia-hand-darkside-books-capa-cover-final2
Livro O Último Adeus

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Entre outras tantas coisas, ela se sente vazia. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e ela só tem apenas a nós, leitores, como amigos e confidentes. O mundo espera que continuemos felizes e contentes, por isso o Último Adeus mostra que sim, a vida continua, mas que vamos ficar tristes de vez em quando, que faz parte chorar, que vamos sempre lembrar de quem se foi, com muito carinho.

Dica para ouvir: Vespas Mandarinas

img_0332

Vespas Mandarinas é uma banda de rock formada na cidade de São Paulo, no ano de 2009. A formação atual é composta por Thadeu Meneghini (voz e baixo) e Chuck Hipolitho (voz e guitarra). Com um rock abrangente, visceral e direto, a Vespas tem em suas melodias muita atitude e relata o cotidiano agitado da cidade de São Paulo.

Lançaram em 2010 seu primeiro EP, intitulado “Da Doo Ron Ron”, após esse lançamento ocorreram mudanças entre os integrantes; No ano seguinte, em 2011, lançaram mais um EP, “Sasha Grey”, mostrando o potencial da banda. Após dois anos fazendo bons shows, ao lado de outros nomes da cena emergente do rock nacional, como Black Drawing Chalks e Vivendo do Ócio; a banda fecha com a Deck, para produzir e lançar seu primeiro álbum inteiro, essa era a alavanca que a banda precisava.

Seu álbum de estreia foi intitulado como “Animal Nacional“, este que foi indicado ao 14º Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Rock Brasileiro”, em 2013. No álbum, tem as influencias de Bandas nacionais dos anos 80 e 90.  Destaco algumas músicas desse álbum que gosto bastante: “Cobra de Vidro”; a sensacional “Não Sei O Que Fazer Comigo”, versão de “Ya No Sé O Qué Hacer Conmigo”, da banda uruguaia El Cuarteto de Nos; “Santa Sampa”; “O Herói Devolvido”; e “O Inimigo”.