Dica para o final de semana: 1° Festival Soma Rock

O Soma Rock é a ideia de unir bandas que vem se destacando no cenário do rock nacional e fortalecer a cena independente. O Primeiro show deste festival terá como destaque as Bandas NDK e Kilotones. O evento acontece neste Sábado, 12 de agosto, a partir das 19h.

As bandas NDK e Kilotones foram às bandas que abriram dois festivais importantes no Brasil, o festival João Rock e o Lollapalooza, neste ano.

O evento acontece no Breve – Rua Clélia N°470 – São Paulo. Os ingressos antecipados estão R$ 15,00, a Venda acontece online:

http://bit.ly/SomaRockSP

Na porta o ingresso será R$ 20,00.

Saiba mais sobre as bandas:

NDK – @ndkoficial

Kilotones – @kilotonesoficial

Dica do Dia: SÊLA – Festival de Música.

Propondo uma libertação dos estereótipos femininos na música e buscando autonomia e consolidação de espaço no meio, a SÊLA traz mulheres protagonistas de suas obras e fundamentais para o cenário musical contemporâneo e para o que está por vir. O festival acontece dia 24 de junho (Sábado), das 16h às 23h.

Programação:

17h – Marina Melo

18h – BrisaFlow

18h50 – Paula Cavalciuk

19h40 – Camila Garófalo

20h30 – Nina Oliveira

21h20 – Marcelle Equivocada

Onde: Associação Cultural Cecilia (Centro)

Rua Vitorino Carmilo, 449 – Barra Funda, São Paulo – SP, 01153-000

Quanto: Gratuito

Pocket Show Juliana Kehl na Fnac Paulista Gratuito

A cantora Juliana Kehl lança seu segundo disco, “Lua Full”, com produção de Gustavo Ruiz e Luiz Chagas, na Fnac Paulista, nesta sexta 28/04.

O pop feminino da cantora mostra o talento da compositora e intérprete, num disco permeado por temáticas que levantam reflexões sobre a construção simbólica da mulher contemporânea e seus desdobramentos nas relações afetivas e também a busca por identidade e liberdade.

Dica para ouvir: Bandavoou

A banda Voou é da região de Recife e tem início desde 2011. O grupo ganhou visibilidade do público pela divulgação de vídeos postados na internet. Seu repertório enfatiza a música popular Brasileira. Seus integrantes são: Carlos Filho, PC Silva, Rostan Junior, Lula Borges e Ed Staudinger.

http://www.bandavoou.net/

Dica para ouvir: Banda Almanak

A banda de rock Almanak tem estrada musical desde 1998. Destacam-se no cenário pela qualidade do repertório e sua interação com o público. Sua Formação vem com Ellen Cristinne (Vocal), Ricardo Guerra (Vocal e Guitarra Base), Paulo Roveri (Guitarra Solo e Backing Vocals), J.B. Neto (Baixo) e JP (Bateria).

O vocal feminino inova o mercado das bandas covers de rock de São Paulo: Além das versões covers, a banda faz algumas versões próprias de músicas consagradas.

Já Participaram de diversos programas de rádio, se apresentam em casas conceituosas da noite paulistana e tocam em eventos fechados. No mês de fevereiro, eles gravarão o DVD Almanak 18 anos.Site

Show de Anna Tréa no Sesc São Caetano

Nesta Sexta, dia 24, às 20h, o Sesc São Caetano apresenta o repertório “Clareia”, da cantora Anna Trea. Este é o primeiro álbum da cantora que é multi-instrumentista e nesse trabalho tem o destaque dos acordes com o violão e a mistura do baixo elétrico. Atrelada a essa musicalidade está sua expressão corporal, resultado da vivência de anos nos mais diversos tipos de danças e no teatro.

Onde: Sesc São Caetano – Rua Piauí, 554, Santa Paula – São Caetano do Sul

Show da cantora Elza Soares gratuito no Sesc Itaquera

No Domingo, dia 19, às 16h a cantora Elza Soares apresenta o trabalho “A Mulher do Fim do Mundo”, vencedor do Grammy Latino e eleito como um dos dez melhores discos do ano pelo The New York Times; vencedor dos principais prêmios musicais e técnicos de 2015 e 2016.

Onde: Sesc Itaquera – Avenida Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000

Show da cantora Laura Wrona no Sesc Belenzinho

Nesta Sábado, dia 18, às 21h acontece no Sesc Belenzinho o show da cantora Laura Wrona, que apresenta o lançamento do seu primeiro EP, “R.H. Volcano”. O repertório foi produzido por Thiago Nassif e conta com participações de nomes como Edgard Scandurra, Juliana Perdigão e Guilherme Kastrup.  O valor da Entrada: R$ 6 comerciários; R$ 10 meia-entrada; R$ 20 inteira

Onde: Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1.000

Show da cantora Cátia de França no Sesc Belenzinho

Nesta Sexta, dia 17, às 21h acontece no Sesc Belenzinho o show da compositora Cátia de França, que apresenta seu álbum que a consagrou, “20 Palavras ao Redor do Sol” (1979).

O repertório tem a influência da sonoridade das canções dos anos 70 e da experiência musical que Cátia acumulou ao longo de outros cinco discos lançados. O valor da Entrada: R$ 9 comerciários; R$ 15 meia-entrada; R$ 30 inteira.

Onde: Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1.000

Dica para ouvir + Entrevista: Banda Delittus

A Banda Delittus, que é da Região de Novo Hamburgo – RS está na estrada desde 2006.  Sua Formação vem com Matt Chelios (Voz e guitarra), Burn (Guitarra e Voz), Fell Rios (Bateria) e Ivan Schultz (Baixo).

Atualmente, a Delittus trabalha na divulgação do seu novo EP “VOLTA”. Por isso, o Dicas da Paty bateu um papo com essa galera que tem uma galera fiel e que acompanha sempre a Banda.

Assista – Tempo Que Eu Perdi (Clipe Oficial)

– Como aconteceu a formação da banda?

O Matt entrou no projeto em 2004 como vocalista. Eu (Burn) entrei um mês depois na guitarra e backing vocal. Éramos uma banda de garagem chamada D’littu’s (que nome hehe) que tocava apenas covers de pop punk. Em 2006, entrou o Fell na bateria e partimos para a gravação do primeiro EP (Sob o outro lado do espelho) que se perdeu nos confins do universo. Depois disso, gravamos o primeiro clipe de “O Impossível” em 2009 e o primeiro álbum “Nada é impossível”, que foi relançado em 2015. Em 2010 ficamos morando e fazendo shows em São Paulo por um ano. Em 2011 o Ivan entrou para o baixo e lançamos “Resistência” (2011) e Gênesis (2014). Agora estamos com o lançamento do novo EP Volta, com o retorno do Matt Chelios aos vocais (ele saiu em 2011 e retornou em 2015).

– Como surgiu a ideia para o nome da banda?

O primeiro baixista tinha o apelido de Littu (não se sabe o por quê). Um professor dele sugeriu o nome The littu’s band, que depois acabou se tornando D’littu’s, e posteriormente Delittus.

– Vocês tem uma galera fiel que acompanha sempre a Banda, como é esse contato com o público?

Temos muito público fiel na internet. Pessoas que vemos que estão sempre compartilhando nossas fotos, lançamentos, vídeos, e sempre surge uma galera nova que ajuda a espalhar. Em quase todos os shows temos uma ótima resposta do público. Sentimos sempre uma energia muito forte da galera quando escutam e sentem nossas músicas ao vivo.

– Já teve alguma loucura de fã? Se sim, como foi?

Já tivemos uma fã que escreveu um rolo de carta gigantesco. Tivemos também fãs que praticamente iam a todos os lugares que a gente estava, quando morávamos em São Paulo.

– Quais são as influências musicais de cada um?

Em geral todos gostam bastante de Bon Jovi, Foo Fighters, Anberlin, Alter Bridge, mas cada um tem suas preferências particulares. Eu (Burn), particularmente ouço muitas coisas diferentes. Gosto muito de Richie Sambora (guitarrista do Bon Jovi), John Mayer, Ed Sheeran, Mr. Big, mas ouço de tudo.

– Como foi a produção do EP novo?

Levamos todas as ideias para o ensaio e acabamos selecionando as quatro músicas que foram para o EP (O mesmo sol, Me dê um sinal, Tempo que eu perdi e Pra sempre). Lapidamo-las e partimos para a gravação no estúdio Holiday, com mixagem e masterização no estúdio K30. Foi bem mais rápido do que o nosso CD anterior, Gênesis, que demorou mais de um ano pra compor e gravar.

– E os planos para 2017?

Pretendemos divulgar bastante o EP Volta, fazendo shows por todo o Brasil. Também queremos lançar versões acústicas, vídeos de estrada e novos vídeos covers. Talvez a gente lance algo novo autoral ainda esse ano, quem sabe.

Acompanhe as redes sociais da Banda:

Site

Instagram

www.twitter.com/delittus

facebook